sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Retículo endoplasmático

1) Conceito


O retículo endoplasmático é um sistema de endomembranas que envolve cavidades de várias formas e as separam do hialoplasma. Nessas cavidades ocorre a síntese de várias substâncias importantes no funcionamento celular.



2) Tipos


Há dois tipos fundamentais de retículo endoplasmático, que diferem entre si pela presença ou não de ribossomos, que são grânulos de RNA e proteínas. Os dois tipos de retículo endoplasmático são: o granuloso ou rugoso e o agranuloso ou liso.



2.1) Retículo endoplasmático liso ou agranular


O retículo endoplasmático liso (REL) é aquele que não apresenta ribossomos aderidos a suas membranas, que são bastante desenvolvidas.


Funções do REL:


- transporte de substâncias


- intercâmbio celular


- desintoxicação


- síntese de lipídios


- reservatório de íons de cálcio



Células em que o REL é abundante:


- hepatócitos (células do fígado, em que predomina a função desintoxicação)


- células da glândula supra-renal* (ocorre síntese de lipídios)


- células dos testículos* (ocorre síntese de lipídios)


- células dos ovários* (ocorre síntese de lipídios)


- células musculares (participam da contração muscular, relacionadas ao reservatório de íons cálcio do REL)


* Estas células glandulares são produtoras de hormônios, que são a base de colesterol, que é um lipídio do tipo esteróide.



2.2) Retículo endoplasmático rugoso, granular ou ergastoplasma


O retículo endoplasmático rugoso (RER) é aquele que apresenta ribossomos aderidos na superfície externa da sua membrana (superfície que está em contato com o citosol). O RER é mais desenvolvido em células de grande síntese proteíca.



Funções do RER:


- transporte de substâncias


- intercâmbio celular


- síntese de proteínas



Exemplos de células que possuem o RER desenvolvido:


- células do fígado


- células do pâncreas



Clique na imagem para ampliá-la

Nenhum comentário:

Postar um comentário